Buscar
  • À Sua Saúde

Update sobre o COVID-19, Part. 11:


Globalmente, o número de infectados pelo novo coronavírus ultrapassou 1,6 milhão, de acordo com dados da Universidade Johns Hopkins. Países deliberam sobre medidas de bloqueio e isolamento ou se preocupam com uma segunda onda de surtos. EUA: O número de mortes por coronavírus nos Estados Unidos continua a subir e está chegando a 17.000, de acordo com uma contagem na sexta-feira. O número de casos confirmados no estado de Nova York atingiu 162.882. Europa: A Espanha registrou o menor número de mortes desde 24 de março e o ritmo de novos casos diminuiu na Alemanha. A Itália está vendo uma tendência de queda nas infecções e pode estender seu bloqueio, enquanto o primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, está começando sua recuperação.


Bloqueio suspenso em Wuhan: A cidade onde o COVID-19 foi detectado pela primeira vez está finalmente encerrando seu bloqueio e isolamento de seus cidadãos. Wuhan foi o primeiro epicentro do vírus, com dezenas de milhares de residentes adoecendo e milhares morrendo. Enquanto o bloqueio está sendo suspenso, de acordo com relatórios, as autoridades ainda estão regulando o movimento na região. CDC divulga relatório sobre os efeitos do COVID-19 em crianças: Um novo relatório do Centers for Disease Control and Prevention (CDC) fornece mais informações sobre como o COVID-19 afeta as crianças.


O relatório publicado no Relatório semanal da Morbidity and Mortality, descobriu que as crianças eram menos propensas que os adultos a apresentar sintomas como tosse ou febre. Embora a maioria das crianças não tenha sintomas graves, bebês e crianças com problemas de saúde subjacentes parecem estar mais expostos a complicações perigosas. “Como as pessoas com doenças assintomáticas e leves, incluindo crianças, provavelmente desempenham um papel na transmissão e disseminação do COVID-19 na comunidade, recomenda-se o distanciamento social e os comportamentos preventivos diários para pessoas de todas as idades, para retardar a propagação do vírus, escreveram os autores. Isolamento:


Pesquisadores da Universidade Danube Krems, na Áustria, avaliaram evidências de medidas de quarentena e isolamento durante surtos de coronavírus. A equipe analisou 29 estudos, dos quais 15 modelaram dados dos surtos de SARS e MERS, quatro foram observacionais e 10 usaram modelos COVID-19. "Os resultados indicam consistentemente que a quarentena é importante na redução da incidência e mortalidade durante a pandemia do COVID-19", concluem os autores. “A implementação precoce da quarentena e a combinação da quarentena com outras medidas de saúde pública são importantes para garantir a eficácia.” No Brasil: Foram 1.930 novas confirmações em 24 horas. São Paulo concentra a maior parte das notificações da lista nacional e apenas Tocantins não tem óbito pela doença no país


Do total de casos, 3.871 (12%) estão em estado grave, necessitando de internação em hospitais de referência em todo o Brasil. Atualmente, dos 941 óbitos confirmados, 78% ocorreram em pessoas com mais de 60 anos e, 74% do total das vítimas, apresentavam pelo menos um fator de risco.

Pessoas acima de 60 anos se enquadram no grupo de risco, mesmo que não tenham nenhum problema de saúde associado. Além disso, pessoas de qualquer idade que tenham comorbidades, como cardiopatia, diabetes, pneumopatia, doença neurológica ou renal, imunodepressão, obesidade, asma e puérperas, entre outras, também precisam redobrar os cuidados nas medidas de prevenção ao coronavírus.

O isolamento está funcionando no Brasil e no Mundo! Vamos continuar! NBC/HealthLine/Bloomberg/SaudeGov.

190 visualizações1 comentário

(21) 2511-1101

©2019 por À Sua Saúde. Orgulhosamente criado com Wix.com