Buscar
  • À Sua Saúde

Os Prós e os Contras das Injeções de Esteróides:


As injeções de esteróides são freqüentemente usadas para aliviar a dor associada à osteoartrite do joelho e do quadril, porém novas evidências sugerem que o tratamento pode causar mais mal do que bem para algumas pessoas.


Os especialistas agora enfatizam a necessidade de um consentimento melhor informado sobre os riscos e benefícios potenciais das injeções.


Dados de mais de 450 pacientes que receberam injeções intra-articulares de corticosteróides para osteoartrite na Universidade de Boston, mostram que o tratamento pode acelerar o ritmo da osteoartrite e contribuir para a destruição articular.


O artigo foi publicado on-line em 15 de outubro na revista Radiology.



"Estamos vendo agora que essas injeções podem ser muito prejudiciais para as articulações, com complicações graves, como osteonecrose, fratura por insuficiência subcondral e osteoartrite progressiva rápida", disse o autor sênior Ali Guermazi, MD, PhD, em comunicado à imprensa. Guermazi é chefe de radiologia no Veterans Affairs Boston Healthcare System e professor de radiologia na Boston University School of Medicine.


Alguns pacientes podem ser mais propensos que outros a maus resultados do tratamento, mas ainda não se sabe como identificar essas pessoas. Os pesquisadores enfatizam a importância do consentimento informado e recomendam os radiologistas a fazer radiografias antes de administrar injeções de esteróides, a fim de identificar problemas subjacentes que podem contribuir para eventos adversos.


"A injeção intra-articular de corticosteróide deve ser seriamente discutida por prós e contras. Considerações críticas sobre as complicações devem fazer parte do consentimento do paciente, o que atualmente não é o caso no momento", acrescentou Guermazi.



O tratamento de primeira linha para a osteoartrite, que mais comumente afeta o quadril e o joelho, é o controle conservador da dor, mas muitos pacientes acabam precisando de substituição articular. No entanto, as pessoas com osteoartrite geralmente são mais velhas e têm vários problemas médicos que as tornam inelegíveis para cirurgia ou tratamento a longo prazo com acetaminofeno ou medicamento anti-inflamatório não esteróide (AINEs).


As injeções de esteróides nas articulações têm sido amplamente utilizadas há décadas para tratar pacientes como esses e outros com controle inadequado da dor. Embora as complicações a curto prazo sejam raras, a maioria dos estudos sobre os efeitos a longo prazo é de baixa qualidade. Algumas evidências de estudos em animais e humanos sugerem que injeções de esteróides nas articulações podem contribuir para a progressão da osteoartrite. As sociedades médicas profissionais diferem quanto à recomendação ou não de injeções de esteróides nas articulações para osteoartrite.


Portanto, Andrew Kompel, MD, também da Faculdade de Medicina da Universidade de Boston, e colegas revisaram os registros de 459 indivíduos que receberam pelo menos uma injeção de corticosteróide na articulação do quadril ou joelho em 2018 em um hospital da cidade.



No geral, 8% (n = 36) dos pacientes apresentou um evento articular adverso após receberem uma injeção articular de esteróide. Esses indivíduos variaram de 37 a 79 anos (idade média de 57 anos) e a maioria (72%) apresentou osteoartrite moderada no início do estudo. Eles receberam uma média de 1,4 injeções e desenvolveram complicações articulares em qualquer lugar entre 2 a 15 meses após a injeção, com uma média de 7 meses.


Os autores identificaram quatro eventos adversos articulares principais após injeções de esteróides. O mais comum foi a progressão acelerada da osteoartrite, encontrada em 6% dos indivíduos (n = 26).


O segundo evento articular adverso mais comum foi a fratura por insuficiência subcondral, encontrada em 0,9% (n = 4) dos indivíduos. Pensa-se tradicionalmente que a fratura por insuficiência subcondral ocorre em indivíduos mais velhos com ossos fracos, mas evidências recentes sugerem que pode ser mais comum e afetar pacientes mais jovens.


A condição é potencialmente subdiagnosticada devido à falta de conscientização. O diagnóstico tardio pode levar a danos nas articulações e eventual substituição articular.


O diagnóstico é importante antes de administrar injeções de esteróides nas articulações, o que pode prejudicar a cicatrização nesses tipos de fraturas, de acordo com os autores.


Além disso, a osteonecrose e a rápida destruição articular afetaram 0,7% (n = 3) dos pacientes, respectivamente.




A osteonecrose refere-se à diminuição do fluxo sanguíneo para o osso que pode causar ruptura do mesmo, eventual fratura e necessidade de substituição articular. Pacientes com osteonecrose, mas sem fratura, às vezes recebem injeções de esteróides nas articulações. Os autores enfatizam a necessidade de informar esses pacientes que injeções nas articulações com esteróides podem potencialmente piorar sua condição.


Eles também observam que a rápida destruição articular e a perda óssea acelerada podem ocorrer após a primeira injeção de esteróide e em pacientes sem evidência de doença subjacente na radiografia. Nesses pacientes, eles sugerem uma revisão cuidadosa da necessidade de injeção e a repetição dos raios X antes de administrar mais injeções.


Os autores concluem: "A comunidade de radiologia deve se engajar ativamente em pesquisas de alta qualidade para entender melhor esses achados adversos nas articulações e como eles se relacionam às injeções [corticóides intra-articulares] para prevenir ou minimizar complicações".


"O relatório não é um estudo clínico prospectivo nem um estudo observacional retrospectivo ... O objetivo é educar os radiologistas que a injeção intra-articular de corticosteróide que eles realizam rotineiramente com pouco, se é que há, pensamento sobre segurança a longo prazo pode causar mais mal do que benefício, " continuam os pesquisadores.



"Os pacientes podem estar mais do que dispostos a assumir o pequeno risco de um evento articular adverso que exija eventual substituição articular pela possibilidade de pelo menos algum grau de alívio da dor após a injeção intra-articular de corticosteróide", conclui. "No entanto, os pacientes têm o direito de tomar essa decisão por si mesmos, e isso exige que os radiologistas discutam todos os riscos e benefícios potenciais com o paciente ao obter o consentimento informado por escrito".


Os autores do estudo reconhecem que não conseguiram determinar se esses eventos articulares adversos já estavam presentes quando os pacientes receberam suas injeções de esteróides ou se as injeções causaram esses problemas.


Mais estudos são necessários para se entender melhor essa relação.


Fonte:Medscape.

3 visualizações

(21) 2511-1101

©2019 por À Sua Saúde. Orgulhosamente criado com Wix.com