Buscar
  • À Sua Saúde

Os 10 Maiores Avanços Médicos para 2020:


A Cleveland Clinic anunciou na última semana as 10 principais inovações médicas para 2020 em uma apresentação multimídia que terminou a Cúpula de Inovação Médica de 2019.


A lista de tecnologias emergentes foi selecionada por um painel de médicos e cientistas da Cleveland Clinic, liderado por Michael Roizen, M.D., Diretor de Bem-Estar Emérito da clínica.


"Os cuidados de saúde estão sempre mudando e prevemos que essas inovações transformarão significativamente o campo médico e melhorarão o atendimento aos pacientes em todo o mundo", disse o Dr. Roizen.


Aqui, em ordem de importância prevista, estão as 10 principais inovações médicas para 2020:


1.Remédio de Osteoporose de Dupla Ação:



A osteoporose é uma condição na qual os ossos se tornam fracos e quebradiços, aumentando efetivamente o risco de fratura. A perda óssea ocorre silenciosa e progressivamente (frequentemente sem sintomas até a primeira fratura).


Fornecendo mais poder de fortalecimento ósseo, a recente aprovação da FDA (Anvisa americana) de um novo medicamento de ação dupla (romosozumab) está dando aos pacientes com osteoporose mais controle na prevenção de fraturas adicionais.


2. Uso expandido da cirurgia da válvula mitral minimamente invasiva:



A válvula mitral permite o fluxo sanguíneo do átrio esquerdo do coração para o ventrículo esquerdo. Em cerca de 1 em cada 10 indivíduos com mais de 75 anos de idade, a válvula mitral está com defeito, causando a ação de regurgitação. Expandir a aprovação de um dispositivo de reparo de válvula minimamente invasivo para uma população de pacientes que não obtiveram alívio dos sintomas de outras terapias fornece uma nova e importante opção de tratamento.



3. Tratamento Inaugural da Cardiomiopatia Amilóide por Transtirretina (ATTR-CM):


Um distúrbio cardiovascular desanimador, o ATTR-CM é uma doença progressiva, subdiagnosticada e potencialmente fatal, na qual fibrilas de proteínas amilóides se depositam e endurecem as paredes do ventrículo esquerdo do coração. A aprovação pelo FDA do tafamidis, o primeiro medicamento para o tratamento dessa condição, pode ajudar muitos pacientes.


4. Terapia para alergias ao amendoim:



É uma realidade aterradora para 2,5% dos pais, a possibilidade de que a qualquer momento o filho não consiga respirar devido a uma reação alérgica. Embora a adrenalina de emergência tenha reduzido a gravidade e o risco de exposição acidental, essas inovações não são suficientes para suprimir a ansiedade sempre presente. O desenvolvimento de um novo medicamento de imunoterapia oral para aumentar gradualmente a tolerância à exposição ao amendoim oferece a oportunidade de dar proteção contra ataques.


5. Estimulação de circuito fechado da medula espinhal:



A dor crônica é uma condição terrivelmente frustrante e um grande motivo para a prescrição de medicamentos opióides. A estimulação da medula espinhal é um tratamento popular para a dor crônica, através da qual um dispositivo implantável fornece estímulo elétrico à medula espinhal. Porém, resultados insatisfatórios devido a eventos subterapêuticos ou de superestimulação são comuns. A estimulação em circuito fechado permite uma melhor comunicação entre o dispositivo e a medula espinhal, proporcionando estimulação e alívio da dor.


6. Biológicos em Reparação Ortopédica:



Após a cirurgia ortopédica, o corpo pode levar de meses a anos para se recuperar. Produtos biológicos, células, componentes do sangue, fatores de crescimento e outras substâncias naturais, têm o poder de substituir ou aproveitar o poder do próprio corpo e promover a cura. Esses elementos estão encontrando seu caminho nos cuidados ortopédicos, permitindo a possibilidade de melhores resultados acelerados.




7. Envelope antibiótico para prevenção de infecção por dispositivo cardíaco implantável:


Em todo o mundo, aproximadamente 1,5 milhão de pacientes recebem um dispositivo eletrônico cardíaco implantável a cada ano. Nesses pacientes, a infecção continua sendo uma complicação importante e potencialmente fatal. Agora, envelopes embebidos em antibióticos são feitos para envolver esses dispositivos cardíacos, impedindo a infecção de forma efetiva.


9. Inibidores de PARP para terapia de manutenção no câncer de ovário:



Os inibidores de PARP, ou Poli (ADP-ribose) polimerase, bloqueiam o reparo do DNA danificado nas células tumorais, o que aumenta a morte celular, especialmente em tumores com mecanismos de reparo deficientes. Um dos mais recentes avanços importantes no tratamento do câncer de ovário, os inibidores de PARP melhoraram a sobrevida livre de progressão e agora estão sendo aprovados para terapia de manutenção de primeira linha em doenças em estágio avançado. Vários estudos adicionais em larga escala estão em andamento com os inibidores de PARP definidos para dar grandes avanços na melhoria dos resultados no tratamento do câncer.


10. Medicamentos para Insuficiência Cardíaca com Fração de Ejeção Preservada:



A insuficiência cardíaca com fração de ejeção preservada, também conhecida como insuficiência cardíaca diastólica, é a condição na qual os músculos cardíacos ventriculares se contraem normalmente, mas não relaxam como deveriam. Com a fração de ejeção preservada, o coração é incapaz de se encher adequadamente de sangue, deixando menos disponível para ser bombeado para o corpo. Atualmente, as recomendações para este tratamento são direcionadas às condições associadas e ao mero alívio dos sintomas. Mas os inibidores do SGLT2, uma classe de medicamentos usados no tratamento da diabetes tipo 2, agora estão sendo explorados no tratamento para insuficiência.


2020 vai ser um grande ano para medicina, com novos tratamento e pesquisas.


Para mais informações converse com o seu médico.




Fonte:ClevelandClinic.

63 visualizações

(21) 2511-1101

©2019 por À Sua Saúde. Orgulhosamente criado com Wix.com