Buscar
  • À Sua Saúde

O Aumento da Depressão em Tempos de Pandemia:


Embora estejamos tão focados no impacto físico do COVID-19 e nas maneiras de impedir a sua propagação, podemos ter deixado outra condição passar despercebida: a depressão.


Em um estudo recente, pesquisadores revisaram dados de 1.441 participantes, todos adultos dos EUA com 18 anos ou mais.


Foi descoberto que os sintomas de depressão eram três vezes maiores durante o isolamento do COVID-19 do que antes da pandemia, passando de 8,5 % para 27,8 %.


A pandemia do novo coronavírus é um evento traumático de grande escala. Isso tem causado sofrimento físico, emocional e psicológico, e não apenas para os pacientes do vírus.


Embora trabalhemos incansavelmente para manter nossos rostos cobertos, lavar nossas mãos e ficar a 2 metros de distância de todos, incluindo nossos entes queridos, podemos não ter percebido como a pandemia e a quarentena afetaram nossa saúde mental.



Políticas postas em prática para prevenir a disseminação de COVID-19 perturbaram a vida diária da maioria das pessoas no mundo.


“Os resultados sugerem que as taxas de sintomatologia da depressão são três vezes maiores durante a pandemia em comparação com antes da pandemia”, disse a Dra. Brittany LeMonda, neuropsicóloga sênior do Hospital Lenox Hill, na cidade de Nova York.


“Sem dúvida, existem muitos fatores que contribuem para este aumento nos sintomas de humor, incluindo maior isolamento social, dificuldades econômicas e exposição a outros fatores de estresse.” Conclui ela.


Não são pequenos distúrbios. Os resultados são semelhantes aos de outros grandes eventos traumáticos.


Por exemplo, depois de 11 de setembro de 2001, 9,6% dos residentes de Manhattan apresentaram sintomas consistentes com depressão e transtorno de estresse pós-traumático.



“A exposição a eventos traumáticos em grande escala está associada ao aumento da carga de doenças mentais na população afetada”, relatou o estudo.


Fatores que contribuem para a depressão:


A pesquisa também descobriu que certos grupos estavam em maior risco de sintomas de depressão, como grupos de baixa renda. Eles tinham um risco 50% maior de apresentar sintomas de depressão do que aqueles de renda mais alta.


Mas a renda não é o único fator. O isolamento e a incerteza contribuem para os sintomas de depressão em pessoas de todas as origens socioeconômicas.


“As taxas de depressão aumentaram significativamente durante a pandemia porque as pessoas estão mais isoladas socialmente, têm menos estrutura e rotina e mais incerteza sobre o futuro, o que leva a dúvidas e previsões negativas”, disse o Dr. Collin Reiff, professor assistente clínico no Departamento de Psiquiatria da NYU Langone Health.



Além disso, acrescentou ele, há uma mudança no "quadro geral". “O que isso faz com os planos que as pessoas tinham? E se eles estivessem prestes a começar um emprego e agora tivessem dificuldades financeiras por causa do atraso de seis meses? E se eles perderam um outro significativo ou membro da família e agora têm que enfrentar a vida sem essa pessoa?”


Acima de tudo, não há como saber quando tudo vai acabar. Desnecessário dizer que é compreensível porque os sintomas da depressão estão aumentando.


Como lidar com os sintomas de depressão durante pandemia?


Existem muitas maneiras de ajudar a aliviar os sintomas da depressão, mesmo durante uma pandemia.


A depressão é uma condição comum que afeta milhões de pessoas no mundo. Isso significa que existem métodos verificados e confiáveis para lidar com seus sintomas, de modo que você possa voltar a viver e aproveitar a vida.



“Identificar aqueles que correm o risco de apresentar sintomas de humor - por exemplo, aqueles com histórico de depressão ou ansiedade, histórico de abuso de substâncias, aqueles que enfrentam desemprego de longa duração ou aqueles que se sentem isolados dos outros - é vital para a detecção e intervenção precoce , ” disse LeMonda.


“Reconhecer sinais de alerta em nossos amigos e familiares, como sentimentos de desesperança e afastamento de outras pessoas, pode ser uma maneira de conectar as pessoas aos serviços apropriados antes que os sintomas piorem.” Afirma ela.


Para aqueles que podem não saber se estão lutando contra a depressão, os sintomas podem incluir:


- Pouca Energia.


- Insônia.


- Perda de Peso.


- Mal Humor.


- Sentimento de Culpa.


- Ideação Suicida.



“Com base nos sintomas, você pode decidir como deseja abordá-lo” reforça o Dr.Reiff. “Pode ser tão simples quanto desenvolver uma aparência de estrutura ou rotina para o seu dia, ou definir um lembrete para reservar um tempo para você, mesmo que seja apenas uma hora.”


Há também a psicoterapia, que é uma das ferramentas mais valiosas quando se trata de melhorar a saúde mental.


“De repente, sentir que você tem alguém para ouvi-lo e entendê-lo e permitir que você veja as coisas de uma perspectiva diferente - isso vale muito. Especialmente quando alguém está lutando contra a depressão.” Conclui Reiff.


Além disso, para algumas pessoas, medicamentos como os antidepressivos podem ajudar.


Em meio a uma pandemia e recessão, uma forma de ajudar é simplesmente estender a mão para a família e amigos e verificar sua saúde mental.



Todo mundo está lutando de uma forma ou de outra durante o COVID-19.


Portanto, não tenha medo de pedir ajuda ou compartilhar suas experiências com pessoas próximas a você.


Provavelmente, você descobrirá que não está sozinho.







Fonte:HealthLine.


193 visualizações

(21) 2511-1101

©2019 por À Sua Saúde. Orgulhosamente criado com Wix.com