Buscar
  • À Sua Saúde

Mesmo em crianças, o excesso de peso define o cenário para doenças cardíacas:


Crianças com sobrepeso e obesas podem mostrar sinais de risco de doença cardiovascular mesmo antes dos 11 anos, relatam pesquisadores australianos.


Para o estudo, recentemente publicado na revista médica Pediatrics, os cientistas mediram o índice de massa corporal em 1.811 crianças entre 2 e 11 anos e calcularam seus níveis de risco para síndrome metabólica. O risco de doença cardiovascular foi calculado com base na presença de quatro fatores: pressão alta, níveis elevados de açúcar no sangue (resistência à insulina), altos níveis de triglicerídeos e baixos níveis de HDL (“bom colesterol”).


Após análise dos dados, foi descoberto que um maior índice de massa corporal em crianças de 2 e 3 anos, previu maior pontuação de risco metabólico em crianças de 11 a 12 anos.


Entre os de 6 e 7 anos de idade, a obesidade também esteve associada a paredes arteriais espessadas e maior rigidez arterial, que podem ser precursoras de doença vascular.



"As crianças obesas na infância geralmente se transformam em adolescentes e adultos obesos", disse a autora principal Kate Lycett, pesquisadora em saúde infantil do Instituto de Pesquisa Infantil Murdoch, em Melbourne, na Austrália. “Como pai, é realmente difícil, mas mudar isso no início da vida evitaria doenças cardiovasculares posteriores.


"Nós fizemos esforços muito bem-sucedidos para controlar doenças cardíacas", continuou ela, "mas quando você tem filhos obesos ao longo da vida, corremos o risco de que muito desse bom trabalho possa ser desfeito".


Causas para Obesidade Infantil:


Histórico familiar, fatores psicológicos e estilo de vida desempenham um papel na obesidade infantil.


Crianças cujos pais ou outros membros da família estão acima do peso ou obesas têm maior probabilidade de seguir o exemplo.



Mas a principal causa da obesidade infantil é uma combinação de comer demais e se exercitar muito pouco.


Uma dieta inadequada, com altos níveis de gordura ou açúcar e poucos nutrientes, pode levar as crianças a ganhar peso rapidamente.


Fast-food, doces e refrigerantes são os culpados.


O Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos EUA relata que 32% das meninas adolescentes e 52% dos meninos adolescentes nos Estados Unidos bebem quase 700 ml de refrigerante - ou mais - por dia.


Alimentos de conveniência, como jantares congelados, lanches salgados e massas enlatadas, também podem contribuir para o ganho de peso prejudicial.


Algumas crianças tornam-se obesas porque seus pais não sabem escolher ou preparar alimentos saudáveis. Outras famílias podem não conseguir comprar frutas, vegetais e carnes frescas com facilidade.



Atividade física insuficiente pode ser outra causa da obesidade infantil. Pessoas de todas as idades tendem a ganhar peso quando são menos ativas. O exercício queima calorias e ajuda a manter um peso saudável.


As crianças que não são incentivadas a serem ativas podem ter menos chances de queimar calorias extras por meio de esportes, tempo no parquinho ou outras formas de atividade física.


Problemas psicológicos também podem levar à obesidade. Crianças e adolescentes entediados, estressados ou deprimidos podem comer mais para lidar com emoções negativas.


Outras Doenças:



Além de problemas cardíacos mencionados acima, as crianças obesas têm maior risco de desenvolver problemas diabetes, asma, distúrbios do sono e dores nas articulações.


Conclusão:


A obesidade infantil é um problema sério no mundo inteiro. No entanto, com educação e apoio adequados, as crianças podem aprender maneiras mais saudáveis de lidar com seus problemas, preparar refeições saudáveis e permanecer ativos.


Esse apoio deve vir dos adultos em suas vidas:

pais, professores e outros cuidadores.


Ajude seus filhos a ficar mais saudáveis por mais tempo, preparando alimentos nutritivos e incentivando-os a fazer bastante exercício.





Fonte:NYtimes/HealthLine.





44 visualizações

(21) 2511-1101

©2019 por À Sua Saúde. Orgulhosamente criado com Wix.com