Buscar
  • À Sua Saúde

Atualização Semanal sobre o COVID-19 no Brasil e Mundo:


Menos de 6 meses após o COVID-19 ter sido identificado e relatado pela primeira vez na China, mais de 2 milhões de pessoas desenvolveram a doença, de acordo com dados da Johns Hopkins. Nos últimos meses, os casos na Itália, Espanha e Estados Unidos eclipsaram o número de casos relatados na China. A ascensão do vírus que matou mais de 140.000 pessoas até agora, deixou os médicos lutando para procurar suprimentos e maneiras eficazes de tratar a doença. Atualmente, os Estados Unidos têm o maior número de mortes pelo vírus no mundo, com mais de 30.000 casos relatados. Além disso, Nova York, que continua sendo o epicentro do surto do novo coronavírus no país, atingiu mais de 10.000 mortes. O Centro de Controle e Prevenção de Doenças norte americano (CDC) divulgou um relatório em 14 de abril, afirmando que 9.282 profissionais de saúde americanos contraíram o vírus.


O CDC estima que o número real de casos de COVID-19 entre os profissionais de saúde é muito maior, pois muitas pessoas com sintomas leves não foram testadas. Aproximadamente 8 a 10% dessas pessoas foram hospitalizadas. A idade média afetada foi de 42 anos e mais de 70% eram do sexo feminino. A obesidade é um fator de risco importante: Pesquisa realizada na Universidade de Nova York mostrou que a obesidade pode ser um fator de risco para hospitalização em pessoas com COVID-19 abaixo de 60 anos. Os resultados foram publicados em 9 de abril na revista médica Clinical Infectious Diseases. Com quase 40% dos adultos americanos com menos de 60 anos com um índice de massa corporal (IMC) igual ou superior a 30, a obesidade é um fator de risco significativo para hospitalizações por COVID-19, de acordo com o estudo. CDC divulga relatório sobre os efeitos do COVID-19 em crianças:


Um relatório do CDC forneceu mais informações sobre como o novo coronavírus afeta as crianças. O relatório publicado na revista científica Morbidity and Mortality, descobriu que as crianças eram menos propensas que os adultos a apresentar sintomas como tosse ou febre. Foi também constatado que 73% das crianças apresentavam sintomas de febre, tosse ou falta de ar, em comparação com 93% dos adultos. Embora a maioria das crianças não tenha sintomas graves, bebês e crianças com problemas de saúde subjacentes parecem estar mais expostos a complicações perigosas. COVID-19 no Brasil: As secretarias estaduais de Saúde atualizaram, na manhã desta sexta-feira (17), o número de casos confirmados e mortos causados pela pandemia do novo coronavírus no Brasil. Até o momento, são 1.956 óbitos registrados e 30.961 casos confirmados. A taxa de letalidade da doença é de 6,3%.


Do total de óbitos decorrentes da doença, São Paulo registra 853 em todo o estado e 11.568 casos confirmados. Em segundo lugar está o Rio de Janeiro, com 300 mortes e 3.944 casos. Quarentena estendida: A fim de conter o avanço da doença, o governo de São Paulo ampliou a quarentena no estado até o dia 22 de abril. Até o momento, São Paulo registra 778 mortes por coronavírus e 11.043 casos confirmados da Covid-19. Segundo o governador João Doria, "Nenhuma aglomeração de nenhuma espécie em nenhuma cidade ou área do estado de São Paulo será admitida. As Guardas Municipais ou Metropolitanas deverão agir", afirmou. No Rio de Janeiro, o governador Wilson Witzel, publicou decreto nesta última segunda-feira (13) prorrogando as medidas de quarentena de combate ao novo coronavírus até o dia 30 de abril. Ficam mantidas a suspensão da realização de eventos e de qualquer atividade com a presença de público; atividades coletivas de cinema, teatro e afins; visitação às unidades prisionais, inclusive aquelas de natureza íntima.



Uso de Máscara: O CDC e a OMS recomendam o uso de máscaras de pano em locais públicos onde outras medidas de distanciamento social são difíceis de manter (por exemplo, supermercados e farmácias), especialmente em áreas de transmissão significativa na comunidade. Revestimentos de rosto de pano feitos com itens domésticos ou feitos em casa com materiais comuns a baixo custo podem ser usados como uma medida voluntária adicional de saúde pública. As coberturas faciais de pano não devem ser colocadas em crianças menores de 2 anos, em pessoas com problemas respiratórios ou inconscientes, incapacitadas ou incapazes de remover a máscara sem assistência. As máscaras de pano recomendados não são máscaras cirúrgicas ou respiradores N-95. Esses são suprimentos essenciais que devem continuar reservados para os profissionais de saúde e outros socorristas, conforme recomendado pelas orientações atuais do CDC. Mantenha o isolamento para se prevenir do vírus. Fique atento para mais atualizações no blog! Fonte:HealthLine/OlharDigital/CDC.

151 visualizações

(21) 2511-1101

©2019 por À Sua Saúde. Orgulhosamente criado com Wix.com