Buscar
  • À Sua Saúde

A Importância da Troponina:


As doenças cardíacas são responsáveis por 1 em cada 4 mortes nos Estados Unidos, com mais de 600.000 pessoas morrendo como resultado dessa condição a cada ano.


A doença cardíaca coronária é particularmente comum, reivindicando pelo menos 370.000 vidas anualmente. Os ataques cardíacos também são generalizados, com 735.000 adultos nos EUA experimentando um a cada ano.


Atualmente, a comunidade médica reconhece a proteína troponina como um biomarcador para o diagnóstico de ataques cardíacos. Além disso, estudos anteriores descobriram uma ligação entre níveis mais altos de troponina e obstrução coronariana aguda e perfusão do miocárdio.


As troponinas são proteínas reguladoras que desempenham um papel fundamental nas contrações musculares do coração.


Uma nova pesquisa descobriu que mesmo um ligeiro aumento nos níveis dessa proteína está consistentemente associado a um maior risco de morte entre todas as faixas etárias.



O estudo examinou os dados de mais de 250.000 pessoas, em um esforço para avaliar a ligação entre idade, nível de troponina e mortalidade.


Entre 2010 e 2017, os médicos mediram os níveis de troponina de cada um dos participantes do estudo, cujas idades variaram de 18 a mais de 90 anos. Os cientistas acompanharam clinicamente esses indivíduos por 3 anos.


No geral, os pesquisadores descobriram uma ligação dose-resposta entre altos níveis de troponina no sangue e risco de morte precoce, o que significa que quanto mais altos os níveis de troponina, maior o risco de morte. Esta associação foi realizada independentemente da idade.


Ao analisar especificamente as diferentes faixas etárias, a análise revelou que adultos jovens - ou seja, entre 19 e 29 anos - com níveis elevados de troponina tinham 10 vezes mais chances de morrer do que aqueles cujo sangue não apresentava níveis elevados de proteína.


O risco diminuiu gradualmente com a idade, com pessoas com mais de 90 anos com níveis elevados de troponina sendo 1,5 vezes mais propensas a morrer do que outras pessoas com idade semelhante.



No entanto, quase metade dos participantes com altos níveis de troponina com mais de 80 anos morreu dentro de 3 anos, observam os pesquisadores, confirmando a noção de que altos níveis de troponina sinalizam uma maior probabilidade de morrer.


Finalmente, os resultados também revelaram um paradoxo: em pessoas que sofreram um ataque cardíaco, níveis extremamente altos de troponina foram associados a um menor risco de morte.


Os pesquisadores explicam que isso pode ser porque uma proporção maior desses participantes era candidata adequada a uma operação que melhora o fluxo sanguíneo para o coração.


No geral, os autores concluem: "Um resultado positivo de troponina é, portanto, altamente clinicamente significativo, independentemente da idade, com o excesso de mortalidade associado a um nível elevado de troponina sendo fortemente concentrado nas primeiras semanas".


Os resultados, afirmam os pesquisadores, enfatizam o fato de que os níveis de troponina podem ser uma ferramenta útil para avaliar a longevidade, mesmo naqueles que não tiveram um ataque cardíaco.



Além disso, a equipe de pesquisa está atualmente trabalhando em um ensaio clínico para examinar se tratamentos cardiovasculares, como estatinas, melhoram a saúde do coração daqueles com níveis elevados de troponina.



"Este é o primeiro estudo a abordar as implicações do aumento da troponina em uma grande amostra do mundo real de pacientes em várias idades", afirmam os cientistas.


"Os médicos serão capazes de usar essas informações para ajudar a identificar o risco de morte precoce em pacientes que têm um nível de troponina medido; isso pode levar a intervenções em um estágio muito mais precoce em um grupo mais amplo de pacientes do que atualmente são tratados", acrescentam os pesquisadores.



Fonte:MedicalNewsToday.

37 visualizações

(21) 2511-1101

©2019 por À Sua Saúde. Orgulhosamente criado com Wix.com